segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Pela ótica da sustentabilidade

Na semana em que acontece o COP 15 em Copenhague na Dinamarca – encontro organizado pela ONU que reúne as lideranças de 192 nações para discutir e talvez chegar a um acordo comum para redução do aquecimento global – a sustentabilidade entra como o principal assunto em pauta em grande parte dos veículos de comunicação espalhados pelo mundo, alguns por que realmente acreditam e defendem o tema, outros por conciliar interesses políticos e, sobretudo monetários. 

Desde que eu cheguei à Costa Rica, há pouco mais de duas semanas, tenho observado bastante o que se faz por aqui em relação à sustentabilidade, sobretudo ambiental, já que se trata de um país que mesmo sendo menor do que o estado de São Paulo abriga em seu território 4% da biodiversidade do planeta. Isso mesmo, 4%!

Minha primeira percepção vem do ambiente de trabalho – aqui não se fala no assunto e o consumo de alguns recursos é feito sem nenhuma recomendação ou tentativa de educação ambiental aos colaboradores: papel, energia, água, tinta, enfim... Vejo aqui uma boa oportunidade para impactar as pessoas que estão ao meu redor neste 1 ano que permanecerei no país – acredito muito que uma pequena iniciativa como essa pode sim modificar atitudes e quem sabe ser reproduzida por aí! (Dou notícias disso depois).


Indo além do ambiente de trabalho, tenho reparado nas ruas e nos hábitos dos moradores, sem generalizar. Por aqui não há coleta seletiva (pelo menos não vi até este momento), poucas lixeiras estão espalhadas pela cidade de San Jose e algumas vezes se esbarra com esgotos abertos pelas ruas. Perguntei a um dos meus vizinhos se não poderíamos separar o lixo e ele me respondeu: “Poderíamos, mas para que? Tudo irá para o mesmo lugar!”. 

Mesmo depois dessa resposta o meu otimismo se manteve e resolvi buscar informações mais detalhadas sobre o assunto, afinal, deveriam existir pessoas por aqui que se preocupam e querem contribuir de alguma forma para um mundo melhor. 

Descobri que a Costa Rica é um exemplo para muitos países quando o assunto é turismo sustentável – vejam sobre o Programa de Certificação para a Sustentabilidade Turística (CST) - o modelo adotado aqui já está sendo “exportado” para outras nações. Curioso é que grande parte dos hotéis que adotam o modelo são de pequeno porte e as grandes redes hoteleiras ainda não se convenceram de que as práticas sustentáveis vão ser benéficas para o negócio e conseqüentemente para os clientes...espero que não demorem a enxergar o planeta pela ótica da sustentabilidade.

Outro fato interessante é o Programa Viagens Limpas, que permite aos passageiros compensar as emissões de gases de efeito estufa liberadas em seus vôos pagando por atividades de conservação de florestas. Até 2008 quase 700 pessoas tinham contribuído, 30% de costa riquenhos e o restante turistas de diversas partes do mundo.

Em relação às áreas de preservação ambiental do país, li sobre o “Sistema de Pago por Servicios Ambientales”, por meio do qual se recompensa economicamente os proprietários de bosques e terrenos florestais que executem projetos de conservação, regeneração natural e reflorestamento. 

Essas são apenas algumas curiosidades que pesquisei sobre o assunto e achei interessante compartilhar. Muitas iniciativas como essas existem, porém, são ainda desconhecidas e pouco difundidas para a população em geral – talvez por isso não sejam tão visíveis e colocadas em prática de forma simples e é disso que tenho sentido falta por aqui. Atitudes simples e que por menores que sejam irão colaborar para o bem comum, aqui na Costa Rica e no restante do planeta. 

Algumas iniciativas que acredito e estão mobilizando pessoas em torno:



Enquanto os líderes discutem em Copenhague - e provavelmente as respostas irão demorar certo tempo para se traduzirem em ações práticas que beneficiarão o futuro do planeta - cada um de nós deve ir fazendo a sua parte! como pode!

P.S - Vídeo de abertura da COP15, vale a pena parar 4 minutos para assistir:

http://www.youtube.com/watch?v=NVGGgncVq-4

2 comentários:

Bárbara Teles disse...

Putz Fofo!

Bom saber que você tem a oportunidade de viver e sentir o mesmo que eu por aqui e, sobretudo, buscar fazer algumas coisa: mesmo que seja se capacitar com informação para ir entendendo como adentrar, aos poucos, na prática!

bjao!

Luiza disse...

E a gente pensando que a gente era deficiente nesse assunto, né... brilhante o vídeo!