sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Adaptando-se a rotina


Depois de três semanas por aqui, começo a me adaptar ao estilo de vida e a rotina diária que me propus a viver neste 1 ano que ficarei na Costa Rica. Engraçado foi perceber isso quando saí do supermercado e reparei que carregava uma sacola de tortillas, ovos e molho chipotle, ou seja, meus hábitos estão realmente mudando!


Todos os dias acordo às 6:30 da matina, tomo meu banho, me arrumo e às 7 tenho que bater na porta do quarto do Juan, o porto riquenho com quem divido o apê e insistir para que ele acorde, pois caso contrário, o cara dorme o dia todo. Faço essa boa ação todos os dias.


O café da manhã ainda está tipicamente brasileiro – pão de forma, frios, cereais, leite e suco de laranja (o mais barato por aqui, pois as demais frutas em polpa são bem caras). Todas as manhãs por volta de 7:30 a Julie, uma das gerentes da empresa passa por aqui e nos dá carona até o trabalho.


Confesso que nos últimos dias no trabalho tenho ficado boa parte do tempo ocioso, sem muito que fazer e de certa forma perdido em relação ao que esperam de mim. Como a pró-atividade é uma das características básicas para aqueles que se propõem viver uma experiência internacional, resolvi me colocar a disposição para ajudar os gerentes e diretores, o que me permite entender diversos processos que envolvem desde a construção de uma simples planilha até o complexo lançamento de um novo produto que acaba de chegar na América Central.  Numa dessas, tive a oportunidade de conhecer a Young&Rubicam daqui e participar da aprovação do budget publicitário para 2010 – quanta diferença quando se faz comunicação com verba hehe, tinha até me esquecido!


Trabalho de segunda a sexta, entre 8 e 17 horas – as pessoas da Novartis são super atenciosas e divertidas. Quem cuida do bem estar dos funcionários é a Patricia, uma simpática senhora que nos brinda todos os dias com frutas frescas e café quente!  Outra coisa que me deixa bem feliz é a máquina mega multi funcional que tem café, leite quente, cappuccino, chocolate quente e outras  bebidas que me ajudam a matar o sono que sempre bate depois do almoço. E sem falar que temos um Wii no lounge da empresa, bom para aliviar o stress hehe!


Ah almoço...isso tem sido um problema! Comida aqui é bem cara, cerca de 9 dólares um prato executivo e por isso muitas vezes acabo em restaurantes fast food, então revezo entre saladas, sanduíches, pizzas e tacos, assim diminui a sensação de que só estou comendo porcaria. Os jantares eu mesmo tenho feito em casa e aí sim, faço coisas decentes!


A volta para casa depois do trabalho é uma viagem (e olha que para quem morava em São Paulo até três semanas atrás, isso parecia normal). Pego um ônibus (não são as busetas heredianas) que se chama Periférica, daí vocês imaginam. É como um circular e por isso gasto cerca de 1hra e 15min todos os dias até chegar a San Pedro, distrito em que moro. Na maior parte das vezes durmo ao som das salsas e merengues que tocam nas rádios daqui.


Bom, nos fins de semana  tenho tentado conhecer novos lugares e pessoas – é incrível como em 2 horas de conversa você faz amizades com pessoas tão diferentes mas que estão aqui na mesma situação que eu: adaptando-se a  diversidade em todos os sentidos, tentando tirar o melhor e aprender com cada situação, por mais adversa que sejam. Praias, vulcões, montanhas, salsas e churrascos “brasilamericanos” regados a cerveja Imperial (típica daqui) têm sido os programas mais comuns. Vamos ver o que será a programação nesse que se aproxima. Mais notícias em breve...

4 comentários:

Mariana Carvalho (Pit) disse...

Adorei seu blog!!! ;D Adoro ver pessoas na mesma situação de adaptação que eu, aqui na Grécia!! \o/ Que bom que tá tudo bem aí com vc, e ue vc ta gostando!!!

Beijosss

Bárbara Teles disse...

É!
To vendo que adaptação é rotina em todo e qualquer lugar, com grande peso que traz o impacto da alimentação!

Luiza Gosling disse...

1. molho chipotle é a primeira coisa decente que vc ingeriu nesse lugar... eu aaaamo!
2. patrícia, uma simpática senhora... pensa no TANTO q eu ri com essa frase...
3. o Justus saiu da direção da Y&R daqui... o.O
4. tenta comer melhor, pq senão vc vai sentir o efeito disso não só por dentro, mas por fora, e isso é horrível... vê se vc não acha alguma restaurante brasileiro por aí...
5. que saudade imensa...

Thays disse...

oi meu querido!!
que bom q está se adaptando...
acho q esse tempo ocioso na empresa eh meio q normal... ateh se adaptar ao ritmo deles demora um pouco... eh uma pena que não tenha uma "transição" decente... seria ótimo ter uma Babi ai pra te ajudar né... hauhauahuah
beijão!
saudades!!!