segunda-feira, 1 de março de 2010

Nas ondas do intercambio



3 meses já se foram. Na prática isso significa que  ¼ do meu intercâmbio na Costa Rica já passou e confesso que esta tem sido a fase mais difícil até o momento. Entrei na AIESEC em 2005 e desde então sempre escutei falar sobre os gráficos comportamentais durante a fase de intercâmbio. Mais do que isso, não apenas escutei, como assisti, presenciei e proporcionei que diversas pessoas pudessem viver a experiência que eu vivo nesse momento. Foram 4 anos trabalhando para gerar o que chamamos de Life Changing Experience – onde quer que seja.

Mas ter escutado, assistido, presenciado e proporcionado é bem diferente de estar. Ultimamente os dias por aqui têm sido mais longos, os momentos de nostalgia ficaram mais freqüentes, a vontade em voltar para casa é quase constante e os questionamentos sobre as escolhas que fiz e farei são cada vez mais recorrentes. O humor se altera, a energia diminui, os lugares não têm tanta graça e o desconhecido deixa de ser novidade. Estranho isso... Estranhas essas reações sabendo que elas não faziam parte do meu cotidiano quando ainda estava no Brasil.

Na última semana resolvi visitar os blogs de outros intercambistas, pessoas que como eu resolveram sair de casa e viver uma experiência profissional no exterior. Deveria haver alguma coincidência... No blog da Tássia, uma amiga de BH que atualmente está na Polônia, me reencontrei com as curvas do intercâmbio, que ela descreveu detalhadamente em um post que me fez entender, assim como ela, onde eu me encaixava nestes três meses. 


E não é que o criador da chamada "curva dos choques culturais", o antropólogo Kalervo Oberg, por volta de 1960,conseguiu descrever os altos e baixos que passamos quando expostos aos diferentes ambientes e costumes?!

De acordo com o gráfico, me encontro na fase de Hostilidade (pesado né) – estranhando, sentindo falta, questionando, negando, confrontando, encarando... Quantos ¨ando¨!

E como ando... Ando porque ainda faltam nove meses, porque foi fruto da minha própria escolha. Ando porque querendo ou não esses momentos de instabilidade me deixarão mais preparado para o que ainda virá. E, sobretudo, ando ao saber que é uma fase, que vai passar e que a tendência é de melhora, se eu fizer por onde. E essa é a idéia!

 “Experiencia es lo que obtienes, cuando no obtienes lo que quieres”.
E assim continuamos a trajetória por aquí!

P.S - Obrigado Tassinha pela contribuição!

8 comentários:

Aline disse...

marcelinho!!!
eu não passei por essas fases, porque voltei com 2 meses e meio...
mas, deve ter uma linha dessa pra fase de readaptação ne?
porque eu não sabia que era tão dificil e diferente!
tenho certeza que a fase da hostilidade (é um nome realmente pesado), vai passar e ainda vou rir muito na frente desse computador com as histórias que você me contar do que esta se passando em terras ticas!
se quiser conversar, contar caso, ouvir histórias aqui de BH, vc sabe onde me achar!
é isso!!! aproveita porque daqui, sinto muita saudade!!
beijo enormeee!!
PALAVRA DO DIA: PACIENCIA!

Gustavo Bonafé disse...

Grande Mestre!

Força ai. Tire ao máximo de aprendizado que puder da experiência. Espero um dia ter a minha também, valeu pelo alerta! Hehehehe

Continue sempre nos atualizando Marcelinho! Está perdendo o Obina matador pelo Galo hahaha

Abraçao

Mari[ disse...

Ow meu Deus!

Tudo nessa vida é experiência, né? Isso vai ser importante pra vcê!

Muitas saudades
Xoxolê

Bárbara Teles disse...

Putz, fofo! Bota dificuldade nisso. Mas é o caminho que escolhemos. Se fosse fácil e sempre boa, a gente arranjaria rapidamente um jeito de sair dali.

Viva um dia de cada vez, com a certeza de que hoje é melhor do que ontem e pior do que amanhã.

Te amo e to contigo sempre!

Força =)

Sua fã

Tassia Corina disse...

Gracinha! Marcelinho! Lembra que se voce esta no baixo da curva, a tendencia é só melhorar! Procure manter pensamentos positivos e nao fique sozinho! Gruda nos gringos!!! BJaoooo

Leo Frade disse...

É meu velho!
Vc está vivendo a experiência que mais proporciona crescimento pessoal.
Esse momento de "baixa" será fundamental lá na frente. Agora que já estou a 2 anos fora do Brasil posso dizer que a melhor forma de passar por esta fase é continuar sempre conhecendo gente nova e descobrindo novas coisas. Amigos são sempre um suporte para estes momentos, sejam eles locais ou os amigos das antigas. Precisando estamos por aqui!

grande abraço!

LeoFrade

Tiago Pizzolo disse...

eu diria que teu marcador ja esta ali no estável subindo...

meu gráfico foi um pouco diferente, acho. caiu de uma vez só depois de 5 dias, depois foi melhorando... vamos ver que acontece.

abracao

Marcelinho disse...

Valeu galera pela forca hehe! Sem duvida cada comentario é uma motivacao a mais para continuar aqui. Espero que em breve o gráfico atinja seu pico máximo :)
Abracao!