sábado, 19 de julho de 2008

De volta a BH, de volta prá SP!

Última semana após sair de Ribeirão Preto foi bem corrida. Saí de lá na quarta feira a noite, após rodadas de chopp no Pinguim, e na manhã seguinte, estava em BH, que apesar do pouco tempo que estou vivendo em Sampa, já estava com uma saudade gigantesca dos meus amigos e da família.

A agenda em BH estava bem apertada, afinal, seriam apenas 4 dias na cidade, e realmente, não consegui fazer tudo o que havia planejado. Na quinta a tarde fiquei trabalhando, tentando colocar os assuntos do MC em dia, porém, esqueci a fonte do laptop em Ribeirão e não pude acessar nenhum dos meus arquivos, o que de certa forma, me deu mais tempo livre para aproveitar BH! A noite me encontrei com meu pai, minha irmã, e dois amigos - Gabriel e Boca - duas figuras! Um deles é brother de 7 Lagoas (isso mesmo, não sou só eu quem venho de lá haha) e o Boca é paulista, se mudou a trabalho para BH. Fomos para o "Botequim da Esquina", típico bar universitário em BH tomar umas, colocar o papo em dia, e tomar mais umas, e mais umas...enfim.

Na sexta feira eu havia marcado de me encontrar com o pessoal da AIESEC no Mundaka, mais um dos bares de BH. Foi bem legal rever a galera e saber o que anda rolando por lá - fim de noite acabamos no Rei do Pastel, quanto tempo não comia tantos pastéis por um preço tão bom: 0,75 cada!

Sábado foi casamento da Inês. Ela foi presidente da AIESEC BH em 2006 - foi eu, Felipão, Marininha de SP e a Cissa! A festa foi show de bola, cada comida que eu tinha que pedir para o garçon repetir o que era novamente pois eu nunca havia visto antes! Fazia muito tempo que eu não via a Inês, foi bom vê-la bem e realizando uma coisa que ela sempre planejou.


Domingo era meu último dia em BH e não poderia ser mehor. De manhã feira hippie com a Marininha que aproveitou a variedade e os preços do local. Na hora do almoço, fomos para a casa da minha vó - eles haviam organizado um churrasco com toda a família e alguns amigos para comemorar meu aniversário antecipadamente - até bolo eu ganhei e nos divertimos bastante, valeu muito a pena. O único imprevisto da tarde foi a derrota do Galo para o Cruzeiro, o que na hora causou um clima meio ruim, mas logo passou...


O tempo passou muito rápido e às 22:00hrs estavámos eu e a Marininha embarcando para SP novamente, afinal, segunda de manhã já tinha reunião marcada. Agradecimento especial para o Felipão de BH que me hospedou e para a família Guimarães que se reuniu em peso para comemorar meu niver reinaugurando a churrasqueira da Vó Chiquinha que há muito não via carvão e picanha!

A semana em SP foi tensa. Começamos a segunda feira sem luz, o que prejudicou nosso trabalho, mas nos deu tempo para fazermos uma mega faxina na casa - foram kilos e kilos de lixo entre papéis, móveis velhos, comida antiga, enfim....limpamos, mudamos coisas de lugar e demos uma "nova" cara para a casa! No decorrer da semana todos super atarefados, correndo para os lados, atendendo a mil e um telefonemas, marcando e remarcando reuniões, comendo às pressas e rindo do stress que havia tomado conta de todos...enfim, passou!

Preciso abrir um parênteses para a comemoração do meu niver na terça. Fomos para o Bar Geni, próximo a Paulista, um bar estilo cabaré, lotado de quartos e salas mobiliadas e com um mojito sensacional! Foram quase todos do meu time comigo, além de pessoas que conheci na AIESEC ao longo dos anos e por coincidência estão em SP. A noite foi massa, a base de rodada dupla de chopp, mojitos e músicas dos anos 80.

O Bar da Geni é apenas um em meio aos milhares que SP oferece nas noites de segunda à segunda, mas tem seu estilo e sua história própria - o texto abaixo (retirei do blog do Conrado) está nos cardápios do Geni e ajuda a entender qual foi a inspiração para o nome:

"De tudo que é nego torto, ela já foi namorada, mas quem nunca entrou nessas paradas, noites assim tão democráticas?

Geni são muitas, são várias, moças lindas e generosas, Geni são 300, 350, como dizia Mario de Andrade, são todas as rainhas tortas cantadas por Lou Reed, Gainsbourg e Chico Buarque...

Geni, se brincar, meu velho, são todas as mulheres, Bovarys, c´est moi. Quem nunca foi Geni por uma noite que atire a primeira pedra! E os cabróns, galinhas-Genis no último, pois. Quem nunca foi Geni, que se aveze, e atire a primeira pedra de gelo no meu uísque... Embora eu prefira um cowboy desse asfalto, short drink, a moda Sam Sheppard, barato!

Geni é profissional e a mais amadora das amadoras. É aquela que condenamos sem nem saber, precoces, como gozos velozes, na batida do centro, goolll, o mais rápido do campeonato. Joga pedra que tu vês!

Reza a lenda que a primeira Geni que desfilou na calçada da rua Bela Cintra, migrando ali da Augusta, nem puta era. Batismo: Maria Genivânia... depois passaram tantas homônimas.

E o sobrenome subtraímos para evitar problemas. Idade: quando aqui passou tinha 25, 25 anos confessos, incompletos, um quarto de século. Linda, cabelos e lábios à Iracema, favos do jali e asas da graúna, gloss brilhante e olhos de uma ressaca eterna.

Minha Beatriz, dane-se (aqui o flash deixou essa parte do cardápio branca e não sei o que tá escrito).

Unhas? Vermelhas. Batom. Minha camisa branca por testemunha, nem a adorável lavanderia tirou!

Geni, mire-se no exemplo, é dadivosa, aqui na frente desse bar fazia ponto, tranqüila, meu Deus, não se atirava em cima de carros, no sossego, na moral, fumava seu cigarro e meditava no calor e na neblina, zen como uma deusa das montanhas, seguia a onda da maresia possível de todas as bondades e noites brancas.

SP há de beijar seus pés, Geni, que começou ali do outro lado, na Consolação, na Tia Olga, entre o cemitério e o sujinho, morte e vida hedonista, daqui ninguém sai vivo, carpe diem, aproveitem a vida, coisa tão ligeira, Geni, pois a vida, Geni, a vida acaba com choro, Geni, mas a vida não tem chorinho!"

Xico Sá

Um comentário:

Luiza disse...

Fomos pro aniversário da Nat na sexta e vc fez falta. Ela disse que tá com pancreatite e não vai poder beber mais. Combina? Acho q não... Foi divertido mas, ainda assim, faltou vc.

Tô com uma saudade preta e branca de vc, relacionada à falta de cor e não ao time.

A aula volta amanhã, mas acho q ninguém vai nem amanhã nem quinta (não temos aula sexta \o/). Vai ser um saco sem vc.

Um beijo bom pra vc!